Revista o electricista

o papel fundamental dos variadores de frequência nas instalações e as suas vantagens

O papel fundamental dos variadores de frequência nas instalações e as suas vantagens

Atualmente, estima-se que entre 60% e 70% da energia elétrica produzida seja consumida por motores elétricos, sendo o motor de indução o mais utilizado devido à sua simplicidade, fiabilidade, baixo custo e bom desempenho.

No passado, o motor de indução era considerado uma máquina de velocidade constante e não era possível obter gamas de variação contínua de velocidade de uma forma simples e económica. Com o advento da eletrónica de potência, tornou-se possível obter fontes de alimentação multifásicas de frequência variável e iniciou-se um grande desenvolvimento no domínio do controlo da velocidade com variação de frequência.

Atualmente, os variadores de frequência tornaram-se um elemento chave nos processos industriais, uma vez que a sua evolução fez com que se adaptassem muito bem às necessidades da carga, melhorando o desempenho dos motores elétricos e oferecendo funções avançadas que ajudam a compreender melhor a informação dos parâmetros do motor e a transmiti-la ao resto do sistema. Também estão a tornar-se muito importantes nas instalações do setor terciário, desempenhando um papel fundamental na eficiência energética dos edifícios e, portanto, na poupança económica da instalação.

Este artigo técnico apresenta uma visão geral das possibilidades oferecidas por um conversor de frequência de uso geral, bem como os benefícios proporcionados por estes dispositivos e as caraterísticas que oferecem para se adaptarem às condições de trabalho de cada aplicação.

A função do variador de frequência

A principal função de um variador de frequência é controlar a velocidade, o binário e a potência dos motores elétricos de corrente alternada.

Um motor de indução ligado diretamente à rede não pode regular nenhum destes parâmetros por si só, uma vez que a velocidade de rotação depende diretamente da frequência da rede e tanto o binário como a potência dependem da tensão da linha de alimentação.

Chint Electrics

Para ler o artigo completo faça a subscrição da revista e obtenha gratuitamente o link de download da revista “o electricista” nº 84. Pode também solicitar apenas este artigo através do emaila.pereira@cie-comunicacao.pt

Outros artigos relacionados

Translate »