Manutenção na Indústria 4.0

Manutenção na Indústria 4.0: ativos inteligentes, conexões cloud e manutenção preditiva

As paragens não planeadas devido a falhas nos sistemas de produção causam altas perdas…

As paragens não planeadas devido a falhas nos sistemas de produção causam altas perdas económicas. A importância dos sistemas e planos de manutenção é fundamental para reduzir esse impacto.

As novas tecnologias que surgiram com a chamada Quarta Revolução Industrial ou Indústria 4.0 permitem-nos melhorar processos de manutenção para que sejam muito mais eficientes. Neste artigo, vamos ver como esses novos avanços nos permitem reduzir os tempos de paragem e até mesmo antecipar-nos, antes que aconteçam. Ou seja, como estas novas tecnologias permitem melhorar a manutenção corretiva e como abrimos as portas para a manutenção preditiva.

Os ativos inteligentes

O nível de campo é o mais baixo da pirâmide de automação e compreende todos os dispositivos e funções que vão desde a captura ou atuação dos sinais de campo até ao Controlador ou PLC. O principal equipamento a nível de campo pode hoje ser definido em três grupos principais: sensores e atuadores, condicionadores de sinal, e sistemas de E/S distribuídos.

A evolução no nível de campo passa pelo conceito de descentralização e inteligência distribuída. Elementos de campo devem oferecer novos recursos para aumentar a flexibilidade e a disponibilidade. Por exemplo, um sensor que anteriormente apenas nos dava um sinal digital agora deve poder aceitar diferentes configurações, integrar funções de diagnóstico, ser plug-and-play, entre outros. Essas funções devem ser usadas para o desenvolvimento de novas aplicações mais complexas, como por exemplo para realizar a manutenção preventiva graças a advertências sobre o tempo de ciclo de vida dos diferentes componentes inteligentes, para alterar a configuração dos sensores dependendo do tipo de produto para realizar, quase imediatamente, substituição de dispositivos com download automático da configuração para reduzir horas de paragem, incluem deteção de anomalias para antecipar possíveis problemas, entre outros.

Jaime Cabrera Martínez
Responsável de Mercado Maquinaria Iberia, Weidmüller S.A.

Para ler o artigo completo faça o download gratuito da revista “o electricista” nº62. Verifique o seu email após o download. Pode também solicitar apenas este artigo através do email: a.pereira@cie-comunicacao.pt

      Selecione as sua(s) área(s) de interesse

      Utilize a tecla Ctrl para selecionar mais que uma opção

    Outros artigos relacionados

    Translate »