ficha prática n.º 63: práticas de eletricidade - Amplificadores de Potência

ficha prática n.º 63: práticas de eletricidade – Amplificadores de Potência

Após a análise das gamas construtivas de transístores, impõe-se desconstruir as principais aplicações.

Após a análise das gamas construtivas de transístores, impõe-se desconstruir as principais aplicações. Dessa forma vamos começar com os Amplificadores de Potência. Neste tipo de utilização cuja finalidade seja
excitar um transdutor qualquer que necessite de elevada potência para o seu acionamento, a escolha dos componentes, dos métodos de cálculo, enfim, todas as considerações acerca do projeto desse novo estágio serão bem diferentes das adotadas para o projeto de circuitos pré-amplificadores analisados anteriormente, que trabalham com sinais de baixo nível. Dessa forma, devemos levar em consideração qual a potência que deve ser obtida, qual será a excursão de corrente e a tensão do coletor, e ambas aliadas a um mínimo de distorção exigido.

Além dos aspetos abordados, é imprescindível que se fale também a respeito da temperatura, sobre a qual devemos ter total controlo. Para isso devemos, além de métodos conectivos e adequados de escolha de componentes, lançar mão também do uso de dissipadores de calor, dos quais dispomos inúmeros tipos e formatos, visando atender a todas as reivindicações necessárias em termos de espaço, estabilização da temperatura, preço, entre outros.

Assim, vamos encontrar circuitos que de uma forma mais ou menos complexa vão satisfazer as nossas necessidades em termos de potência, atuando com um grau maior ou menor de eficiência.

Amplificação em classe A

No amplificador classe A, o sinal de saída deve ser uma cópia exata do sinal aplicado à sua entrada. Neste caso, o transístor deve conduzir durante todo o ciclo do sinal de entrada. Operando em classe A, pode haver distorção do sinal de saída, mas isto pode ser evitado se o transístor operar na sua região linear. Uma operação em classe A encontra-se delineada na Figura 216.

Um amplificador é considerado a funcionar em classe A quando funciona, sempre na região ativa. Isto significa que a corrente de coletor flui durante os 360° do ciclo em corrente alternada. Relembra-se o amplificador emissor comum representado novamente na Figura 217(a), em que na Figura 217(b) apresentamos o circuito em corrente contínua, na Figura 218 o circuito em corrente alternada e na figura 219 as retas de carga D.C e C.A. Na Figura 220 apresentamos somente a reta de carga C.A., visto que o estudo neste momento versa este tipo de sinal.

Manuel Teixeira
ATEC – Academia de Formação

Para ler o artigo completo faça o download gratuito da revista “o electricista” nº73. Verifique o seu email após o download. Pode também solicitar apenas este artigo através do email: a.pereira@cie-comunicacao.pt

      Selecione as sua(s) área(s) de interesse

      Utilize a tecla Ctrl para selecionar mais que uma opção

    Outros artigos relacionados

    Translate »